Ir para o conteúdo
café
preto
acordando
para a luta
ou

Rio dos Macacos

Confira as fotos da visita do Café Preto ao quilombo!

Tela cheia Sugerir um artigo
 Feed RSS

Notícias

24 de Fevereiro de 2015, 21:17 , por Desconhecido - | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

Marcha Antifascista Salvador-BA

quase 2 anos, por Léo Lopes - 0sem comentários ainda

 Marcha_antifascista

 

ALERTA!


"Uma onda de intolerância vem ganhando força nos últimos anos. A disputa política de partidos pelo poder reflete o que existe de pior em extremos da sociedade: o fascismo.

O povo pobre está sendo atacado, os trabalhadores e trabalhadoras, os estudantes, as mulheres, os lutadores e lutadoras do nosso dia-a-dia em todas as esferas. Movimentos sociais estão sofrendo ataques, sedes sindicais, organizações populares, centros estudantis.
Isso é o traço claro do fascismo. A meta é destruir a mobilização popular e promover a intolerância. Foi assim no passado aqui no Brasil e em todo o mundo.

Os ataques não estão restritos no âmbito político, com leis conservadoras e que prejudicam as liberdades. Esses ataques se propagam nas ruas, diariamente, violentamente. E eles têm aval do Estado conservador, através de um sistema que só julga e criminaliza o nosso povo.
Propagam ódio contra imigrantes, contra homossexuais, contra os negros, contra nordestinos, contra movimentos de esquerda com ou sem partido político.

Qual a importância de uma mobilização antifascista?

Estamos à beira de um caos em todas as esferas. A onda reacionária toma conta da opinião pública através de uma mídia irresponsável e intolerante, propagando e banalizando posicionamentos que atacam as liberdades e se refletem na política e nas ruas.

Precisamos organizar e mobilizar as bases populares. Formar uma unidade da luta antifascista para barrar a onda intolerante e violenta. Precisamos unir todos e todas que já estão se articulando diariamente e somar com quem ainda não entendeu a importância de identificar o mal que é o fascismo.

O lema é: "somar para o fascismo sumir".

Só com uma mobilização em unidade poderemos organizar frentes populares e que visam a conquista de um mundo melhor. O momento requer uma frente única antifascista que demonstre força e organização. Assim como os antifascistas se uniram no passado para derrotar o integralismo (fascismo disfarçado), chegou o momento de voltarmos pras ruas em peso. Nossa luta não tem fronteiras.

Não queremos promover a violência, mas sim marcar a nossa posição firme contra qualquer ataque às liberdades. Organize na sua cidade, mobilize seus amigos e familiares. Promova a articulação diretamente das bases populares, como sempre foi. Uma mobilização em massa será importante para criar uma força popular organizada e preparada para resistir aos ataques que estão por vir em todas as esferas. "

Texto dos organizadores - Ação Antifascista Salvador - BA



E tome obra! Uma cidade cada vez menos nossa

quase 2 anos, por Léo Lopes - 0sem comentários ainda

Está na rede a coluna "Tudo deles, nada nosso" da segunda edição do Café-Preto.

Na boca dos gestores dessa cidade, cada vez mais é comum a utilização da "requalificação urbana" como maneira de conquistar corações e mentes do povo pobre de Salvador, mas cá pra nós, requalificação urbana pra quem? Nessa edição continuamos denunciado o modelo de cidade elitista, racista e cada vez mais segraegada que está sendo imposta por ACM, o neto.O_neto

Abaixo um pequeno trecho dessa edição. Desfrute do nosso cafezinho!

"Estamos vendo que a “melhoria na infraestrutura da cidade” não traz benefícios para todos. Do jeito que as mudanças acontecem, estão forçando os mais pobres a sair de suas comunidades, removendo-os de suas casas enquanto os empresários da especulação imobiliária aumentam seus lucros. A especulação imobiliária funciona juntinho do Estado: o político investe dinheiro público na melhoria de uma praça aqui, ‘bota’ uma orla bonitinha acolá, e se aproveita das obras para expulsar os moradores mais pobres e os trabalhadores autônomos destas áreas. Assim a cidade é entregue de bandeja para os empresários fazerem dela o que bem entender."

Leia mais aqui



Então, tarifa zero é possível?

quase 2 anos, por Léo Lopes - 0sem comentários ainda

Está na rede a coluna "Do lado de Cá" da segunda edição do Café-Preto.

Nessa edição continuamos batendo na tecla do transporte, serviço mais que essencial na vida de tod@s @s trabalhadorxs, sobretudo aqui na Bahia, onde a qualidade do transporte coletivo encontra-se muito distante das demandas da população pobre. No caso da cidade de Salvador, após longos anos de espera, o metrô entrou em funcionamento, e com uma operação "assistida" marcada pela gratuidade, o que nos coloca uma questão fundamental: Então, tarifa zero é possível?

Abaixo um pequeno trecho dessa edição. Desfrute do nosso cafezinho!

"Então, é possível realizar a Tarifa Zero com todos os seus benefícios em um tipo de transporte, como foi no metrô, mas não podemos em outros? Como assim? Por quê? O que impede tal ação? Por que é possível uma “fase de testes” com gratuidade? Porque não é possível que essa gratuidade estenda-se por todo o sistema de transporte? Por quê? Por quê? Por quê?"

Leia mais aqui

 

Tarifa-com-tesoura



Vandalismo de Estado - 2 edição: Estado e Capital sucateando a educação

quase 2 anos, por Léo Lopes - 0sem comentários ainda

Extra! Extra!

Está no ar a coluna "Vandalismo de Estado" da segunda edição do Café-Preto. 

Nessa edição, com o tema da crise econômica e seus impactos no setor educacional, sobretudo nas universidades públicas.

Veja a introdução abaixo e desfrute do seu cafezinho.

De tempos em tempos, entramos numa crise econômica. Nestas horas, o “sagrado” lucro dos patrões e a arrecadação dos governos (independente do partido) ficam comprometidos. Para não se afundarem em perdas e dívidas, eles precisam tirar dinheiro de algVandalismo_de_estadoum lugar para tapar o rombo gerado pela crise. No entanto, governantes e empresários jamais mexerão em seus negócios, nas suas maracutaias ou reduzirão os seus salários. A primeira atitude é então fazer a política da tesoura: é corte para tudo quanto é lado, menos para o lado deles!
Tá pensando que 2016 será fácil? Pois ponham os capacetes que é vem pedrada! Reparem que o ano passado já começou voando pedregulho: o anúncio da redução de direitos históricos como a pensão por morte, auxílio-doença, seguro desemprego se soma a tantos outros “ajustes” já realizados. E no Estado ainda há aqueles que agitam a aprovação do projeto de lei da terceirização, que dá às empresas o poder de contratar e de demitir trabalhadores com mais "flexibilidade", sem tantas justificativas. Este ano a história não será nada diferente!

Pegue o seu cafezinho e continue a leitura aqui: http://cafe-preto.org/vandalismo-de-estado/ 

 



Sarau JACA de poesia

aproximadamente 2 anos, por Léo Lopes - 0sem comentários ainda

Nesse último final de semana (09/04/16) rolou mais um Sarau da Juventude Ativista de Cajazeiras (JACA) e o Café-Preto também marcou presença, fortalecendo mais um espaço de luta autônoma na cidade. Juntamente com nossos irmãos e irmãs da Biblioteca Zeferina-Beiru, e de toda família que abraça e pensa outras pespectivas de relações sociais, seguimos na luta!

 

  

 Galeria:

 

 

 



(A) Extra! Extra! Café Preto grátis toda quarta-feira!

aproximadamente 2 anos, por Bruno M. - 0sem comentários ainda

(A) Extra! Extra! A segunda edição do Café Preto já está no ar e você pode conferir uma matéria publicada a cada quarta-feira! Acertem seus relógios, pendurem seus calendários e acompanhem nossas publicações!

Cafezinho