Ir para o conteúdo
café
preto
acordando
para a luta
ou

Rio dos Macacos

Confira as fotos da visita do Café Preto ao quilombo!

 Voltar a Notícias
Tela cheia Sugerir um artigo

#‎RIOVERMELHO‬

6 de Junho de 2016, 9:14 , por Léo Lopes - 0sem comentários ainda | Ninguém está seguindo este artigo ainda.

A Prefeitura de Salvador organizou na última sexta-feira (03/06/2016) uma grande operação de fiscalização, o famoso RAPA, no Rio Vermelho, território de lazer tradicionalmente utilizado pela população soteropolitana. Após a reforma na área boêmia do bairro, gente rica e gente pobre aparentemente ainda se misturam no local.

Nós, do Café Preto, cafeinados nas tretas do sistema, conversávamos sobre como era claro que gente rica sentava às mesas dos grandes bares e gente pobre ficava de pé ou na balaustrada consumindo nos vendedores ambulantes em seus isopores. A importância dos ambulantes na inclusão da classe precarizada da cidade nos espaços de lazer da tal "requalificação urbana" era inegável. Cobrando valores bem mais baratos, quem vive apertado na correria do dia a dia consegue ao menos chegar e tomar a sua cerveja (a velha e boa 3 por 5). Com agentes à paisana, de forma truculenta e agressiva, o Rapa agrediu pessoas e apreendeu materiais dos ambulantes, conseguindo encher a carroceria inteira de um caminhão. 

Opera__o_3

Carrinhos de pipoca, de pastel, beijú, isopores de bebidas, tudo jogado e amontoado sem o mínimo cuidado com os bens apreendidos... Um senhor de idade chegou a resistir, mas foi violentamente arrastado pela fiscalização até a viatura da polícia militar. Com a retirada dos ambulantes, ficou nítido o esvaziamento do local. Quem tem dinheiro fica, quem não tem, sai. Branco fica, preto sai. A Prefeitura demonstrando mais uma vez que a sua requalificação urbana é sim uma política racista e injusta de "higienização". Em uma conversa com uma ambulante que chegava com seus dois filhos pequenos para trabalhar e tirar o seu sustento exatamente à meia noite, ela nos disse: "o cerco está fechando para nós ambulantes... aluguei o meu barraco no Calabar pra uma família que nem conhecia, mas foi pra eles morarem junto com a gente. São sete pessoas nesse espaço aqui ó [enquanto demonstrava com as mãos a parca dimensão de sua moradia]. Tive que fazer isto pra comprar esse carrinho de pastel. Se eu perco isso, cabou a vida DOS MEUS MENINOS!". O Café Preto repudia a ação e continuará, como sempre, visibilizando a luta dessa gente guerreira e trabalhadora! Relembre nossa matéria sobre os ambulantes da Lapa após a privatização do terminal de ônibus:

https://www.youtube.com/watch?v=I8tN_mJLU0k

 

 

 


0sem comentários ainda

Enviar um comentário

Os campos são obrigatórios.

Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.